26 janeiro 2013

Conheça nossas EMEIs

N4e9757be00d3f_large
“Por que motivo as crianças de modo geral, são poetas e, com o tempo, deixam de sê-lo? ” Por que razão este questionamento do grande poeta Carlos Drummond de Andrade, em 1974, parece-nos ainda tão atual?
[...] A afetividade que existe na relação da professora com as crianças menores, na escola, é decisiva para introduzi-las no mundo fantasioso e emocionante das histórias, dos poemas, dos jogos, das cantigas, dos brinquedos folclóricos e de músicas acessíveis à sensibilidade infantil. Educador e criança farão parte de uma mesma realidade que integra os sentidos, as ideias, as fantasias e as emoções.
Assim, professores desde a Educação Infantil devem ser sensíveis, durante a experiência escolar, à manutenção da espontaneidade poética e à abertura para o jogo sonoro e semântico que tanto as crianças apreciam. E para evitar que ocorra aquela ruptura entre Educação Infantil, Alfabetização e o Ensino Fundamental, essa sintonia com a apreciação poética deve permear todo o trabalho com a linguagem na escola.
Para tanto, há que se construir o ser poético também em adultos, educadores, que não tiveram contato mais estreito com a poesia. [...] Fonte: Caravana Poética
Bola-de-sabao_large
CONVITE
JOSÉ PAULO PAES
POESIA
É BRINCAR COM PALAVRAS
COMO SE BRINCA
COM BOLA, PAPAGAIO, PIÃO.
SÓ QUE
BOLA, PAPAGAIO, PIÃO.
DE TANTO BRINCAR
SE GASTAM.
AS PALAVRAS NÃO:
QUANTO MAIS SE BRINCA
COM ELAS
MAIS NOVAS FICAM.
COMO ÁGUA DO RIO
QUE É ÁGUA SEMPRE NOVA.
COMO CADA DIA
QUE É SEMPRE POESIA.
VAMOS BRINCAR DE POESIA?