29 setembro 2015

Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC 2015

Chegamos ao terceiro ano do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC.
No fim do ano de 2012, muitas universidades começaram a constituir as equipes de formação que iriam atuar nos mais de 5 mil municípios que aderiram às ações do PNAIC. 
O ano de 2013 foi, então, marcado pela implantação deste projeto de grande escala: o maior programa de formação de professores já desenvolvido pelo Ministério da Educação – MEC.
No ano de 2014, a ênfase do trabalho de formação ocorreu com o componente curricular Matemática, com a preocupação de não se abandonar o trabalho desenvolvido anteriormente com a Língua Portuguesa. A preparação e o desenho do processo exigiu constante articulação entre as universidades parceiras e o MEC, resultando na definição da possibilidade de manutenção das equipes de formadores de Linguagem, trabalhando conjuntamente com uma nova equipe de formadores, de Matemática, inaugurando um modelo de formação inovador, que permitiu a continuidade dos trabalhos com as duas áreas, e que acarretou um grande aprendizado a todos os envolvidos.
Dando continuidade ao trabalho desenvolvido nesses dois anos de programa, esperamos que o material desse ano contribua para a reflexão das práticas e das experiências de cada um dos professores, resultando na alfabetização na perspectiva do letramento, nas diversas áreas do conhecimento, de todas as crianças brasileiras.

Fórum Regional de Educação Infantil

No dia 25-09, sexta- feira, a cidade de Marília sediou a IV Assembleia do Fórum Regional de Educação Infantil e uma das colaboradoras foi a Secretaria Municipal da Educação deste Município. 
Este evento que aconteceu na UNESP teve como objetivo central discutir os fundamentos, as concepções que norteiam as práticas educativas na Educação Infantil, pressupostos que orientam o pensar e o fazer docente. Foram debatidas questões contemporâneas que afetam diretamente as práticas pedagógicas e consequentemente, o desenvolvimento infantil.
O Fórum de Educação Infantil é uma estância suprapartidária, sem vínculo com órgãos governamentais, que discutem, propõem políticas públicas para a infância. Ele busca mobilizar junto aos órgãos governamentais e não governamentais a efetivação dos direitos das crianças a uma educação que promova o seu pleno desenvolvimento. O Fórum também luta pela proposição de diretrizes de ação e políticas de Educação Infantil em nível municipal, estadual e nacional.
A Assembleia foi composta por momentos significativos como apresentações culturais, explanação do Projeto “Ludibus” com a Profª. Drª. Ana Paula Cordeiro (UNESP – Marília) e palestra com a Profa. Dra. Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto (UNESP – Marília)
No período da tarde houve grupos de discussão, depois a socialização na assembleia e por fim à eleição dos novos gestores regionais, dentre as quais, da rede municipal de Educação Infantil de Marília foram eleitas as Professoras Luciana Cristina Rissoli Tamura, Josiane Cardim Comine e Teresa de Fátima Ulian Silva, também foram reeleitos os gestores Marcelo Campos Pereira, Tânia Maria Tolentino e Ana Maria Garrido.

26 setembro 2015

Psicanalista Ana Laura Giongo, sobre "Divertida Mente": de dentro para fora

Divertida Mente, a mais nova animação da Pixar, tem por título original Inside Out. Se fosse assim traduzido, teríamos uma pista mais precisa do que vamos assistir: uma visão de "dentro para fora", ou "ao avesso", do que se passa na mente. É uma animação infantil por ser dirigida aos pequenos, mas que, com seu argumento consistente – baseado em conceitos das neurociências e da psicanálise –, também toca profundamente os adultos, que podem se remeter à experiência "infantil" que deu forma a suas vidas.
O filme coloca em cena, de modo colorido e preciso, o trabalho de inscrição das memórias que vêm a constituir nossa estrutura psíquica. No universo retratado, a mente de Riley, uma menina de 11 anos, vai se compondo a partir das experiências vividas e das marcas que as mesmas vão deixando. No comando de sua mente – e na de todos ao seu redor –, estão cinco sentimentos: Alegria, Tristeza, Raiva, Medo e Repulsa. Cada experiência pode ser armazenada como "traço de memória" num destes registros. Algumas memórias, mais preciosas, transformam-se em "memórias-base", definidoras do psiquismo. Outras são diluídas no tempo, assim como algumas "memórias perigosas" vão para um lugar ao qual não se tem acesso: o "subconsciente".
Na infância de Riley se formam "ilhas de lembranças", estruturas que sustentam sua personalidade e que, por circunstâncias da vida, na passagem da infância à adolescência, são abaladas e precisam ser reinventadas, reconstruídas. 
No filme, a Alegria tenta garantir um destino que exclua as memórias tristes e acaba por produzir uma confusão de sentimentos. A relação entre Alegria e Tristeza retrata a forma como nossa cultura lida com a tristeza: ela tem que ficar "presa", é inútil e incômoda. Assim, uma das riquezas do filme é dar à tristeza um lugar de valor: um sentimento necessário, que permite refletir e dar sentido à experiência vivida.
Acima de tudo, Divertida Mente captura as crianças por cumprir uma função importante da ficção na infância: dar nome e consistência àquilo que não se consegue colocar em palavras. Assistir a um ataque de birra de "dentro para fora" permite identificar o sentimento que está no fundo desta cena.
O sucesso do filme se mede pelos efeitos nas crianças. Escutei de algumas delas perguntas sobre se os adultos também sentem medo, reflexões sobre que sentimento estaria "no comando" em alguns momentos e, inclusive, a criação de outro "personagem-sentimento", quando uma menina disse que inventaria a Dúvida para a sua mente. Ao retratar a mente de "dentro para fora", o filme abre – para crianças e adultos – janelas para dentro.

Filme "Divertida mente". Diretor diz que fez filme para tentar entender filha tímida

"Minha filhinha estava crescendo, mudando, estava com 11 anos, ficando cada vez mais tímida. Eu vivia tentando pensar o que se passava na cabeça dela", completa ele, com voz super grossa e cara muito, muito séria. Pete não faz valer o nome do filme durante a entrevista: responde tudo seriamente. Fonte
Em novo filme da Disney•Pixar, Divertida Mente, o diretor vencedor do Oscar® Pete Docter (Up-Altas Aventuras, Monstros S.A.) nos leva a conhecer um lugar divertido e extraordinário, a mente humana. 
Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no centro dos Estados Unidos, para viver em São Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, a Repulsa e a Tristeza. Embora esses grupos sejam normalmente organizados, a chegada de Riley a uma nova escola faz com que todas as emoções se misturem.

Crescer pode ser uma jornada turbulenta, e com Riley não é diferente. Conforme ela e suas emoções, Alegria , Medo, Raiva, Nojinho e Tristeza se esforçam para adaptar-se à uma nova vida, uma enorme agitação toma conta do centro de controle em sua mente. Embora Alegria, a principal e mais importante emoção de Riley, tente se manter positiva, as emoções entram em conflitos, às vezes muito divertidos, sobre qual a melhor maneira de viver em uma nova cidade, casa e escola.

Instituto Educadigital - Design Thinking Para Educadores

24 setembro 2015

Brasil é 38º – de 44 países – em teste de raciocínio do Pisa

Alunos em escola de Sergipe: apenas 1,8% dos alunos brasileiros são "top", na avaliação da OCDE. Na Rússia, número chega a 7,3%. Em Singapura, quase 30%

Os alunos brasileiros estão penando em testes de raciocínio rápido e de problemas ligados ao dia a dia. Entre os 44 países avaliados em uma nova etapa do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) 2012, da OCDE, o Brasil ficou em 38º lugar.
Na prova, aplicada a estudantes de 15 anos sobre problemas matemáticos da vida real, o país conquistou uma média de 428 pontos. Singapura e Coreia, os campeões, conquistaram 562 e 561 pontos, respectivamente.
O Brasil também tem poucos alunos de ponta, considerados “top-performers”. Aqui, 1,8% dos alunos têm desempenho extraordinário para resolver problemas considerando todas as variáveis que podem afetar o resultado.
Em Singapura, são 29,3%; no Japão, 27,6%. Fonte
Essa é a primeira vez que o teste avalia: autonomia, raciocínio crítico, liderança, facilidade de relacionamento e tolerância. Preocupada com o desempenho dos nossos estudantes, a Secretaria Municipal da Educação tem investido gradativamente nas escolas, iniciando pelas de tempo integral. A aquisição do material do Programa Mind Lab visa possibilitar aos estudantes uma experiência significativa e mediada com os conteúdos curriculares. A ênfase do trabalho está no jogo como recurso didático privilegiado, pois possibilita viver experiências que representam os grandes desafios da realidade, alem de ser divertido, acolhedor e empolgante. 
Batalha dos Submarinos
Objetivos das aulas
 Destacar o uso de perguntas para produzir e organizar informações e dados
• Trabalhar a importância de dar respostas precisas e claras
• Apresentar e explorar o conceito de coordenadas
• Apresentar o Método do Detetive
Regras do jogo
Objetivo do jogo
Ser o primeiro jogador a afundar toda a frota do oponente. Regras do jogo:
1.Após desenhar sua frota no Mapa da Frota, cada jogador deve ter seu Mapa de Alvos vazio, onde todas as informações obtidas sobre a frota do oponente devem ser registradas.
2.Cada jogador, na sua vez, diz as coordenadas de uma casa onde imagina que haja um submarino posicionado.
3.O oponente deve responder da seguinte forma:
a.“Acertou”: quando parte do submarino da sua frota for atingida.
b.“Afundou”: quando todas as partes de um submarino forem atingidas.
c.“Água”: se nenhuma parte de submarino for atingida.
4.O jogador que perguntou deve anotar as respostas em seu Mapa dos Alvos, seguindo a seguinte orientação:
a.“ O ” para cada acerto.
b.“ X ” para cada água.
5.O jogo termina quando um dos jogadores afundar toda a frota do oponente.

23 setembro 2015

Encontros Pedagógicos entre Professoras Coordenadoras e Equipe Pedagógica de EMEI.

Nas quintas-feiras dias 10 e 17/09, das 8h30 às 11h30, as Professoras Coordenadoras de EMEIs, EMEFEIs e EPFEIs, estiveram reunidas com a Equipe Pedagógica da Secretaria Municipal da Educação continuando os estudos propostos para este ano letivo.
Nesses encontros pedagógicos foram abordadas experiências relacionadas à linguagem verbal (oral e escrita) e literatura, tema que dá continuidade à discussão do livro “Currículo na Educação Infantil- diálogo com os demais elementos da proposta pedagógica”, integrada às reflexões sobre a prática desenvolvida no cotidiano das escolas e ao maior conhecimento das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil.
No dia 25/9, todo o grupo de Professoras Coordenadoras participará da IV Assembleia do Fórum Regional de Educação Infantil, com o tema “Práticas Pedagógicas: concepções. Ações e reflexões”, que acontecerá na Unesp, campus de Marília, das 9h às 17h, discutindo questões atuais que afetam as práticas pedagógicas da Educação Infantil e consequentemente, o desenvolvimento das crianças pequenas.
Equipe Pedagógica de EMEI 21/09/2015.

Curso “Práticas significativas ao encontro das necessidades e especificidades das crianças da Educação Infantil”.

Na quinta-feira 17 de setembro, das 17h30 às 20h30, no auditório da Secretaria Municipal de Educação, teve início o curso “Práticas significativas ao encontro das necessidades e especificidades das crianças da Educação Infantil” voltado aos Professores das Escolas Municipais de Educação Infantil.
O curso, que terá 7 encontros presenciais e compreenderá atividades práticas realizadas na escola com as crianças, é ministrado pela Equipe Pedagógica de EMEI, contando com especiais participações de professores que atuam nas EMEIs e de parceiros da Unesp e da Secretaria da Educação de Bauru.
O primeiro encontro foi dinâmico, com uma proposta de trabalho em grupos na qual os professores expressaram, por meio de desenhos, os conceitos de criança, aprendizagem e papel do professor na Educação Infantil. A partir da exposição de cada grupo, houve a reflexão a respeito dos pressupostos norteadores de um ensino voltado ao pleno desenvolvimento das crianças, o que é meta do trabalho das escolas da Rede Municipal de Marília.
Equipe Pedagógica de EMEI 21/9/15

Setembro Verde

Durante o mês de Setembro, a Santa Casa de Marília, estará promovendo uma série de eventos, chamando a atenção da população para a importância das doações de órgãos e tecidos, destinadas a atender pacientes que necessitam de transplantes. 
Durante o “Setembro Verde”, a Secretaria Municipal da Educação, através das unidades escolares, estimulará a participação, aderindo à campanha: "Setembro Verde”. As EMEIs e EMEFs promoverão atividades para conscientização dos alunos e comunidade, como: a decoração da fachada do prédio com um laço verde, elaboração de painéis sobre o tema e distribuição de lacinhos verdes para os alunos e funcionários. 
Contamos com a colaboração de todos.

CURSO ESCOLA DE GESTORES

Os diretores da rede municipal de ensino participaram do Curso de Capacitação Escola de Gestores, no dia 18 de setembro, no auditório da Secretaria Municipal da Educação.
Com a coordenação da Supervisora de Ensino da Educação Básica, Profª Márcia Vinholo e a Assessora Especial de Políticas Educacionais, Profª Luzimabille Zaparolli, as professoras Elianeth Dias Kanthack Hernandes e Graziela Zambão Abdian, da UNESP-Marília explanaram sobre a redação do texto preliminar da minuta de Lei dos Conselhos Escolares para a rede municipal, elaborada nos encontros anteriores, em um processo de construção democrática, tendo como agentes os diretores de escola.
Os pontos principais debatidos, neste encontro, foram: a participação dos alunos nos Conselhos de Escola, a quantidade de suplentes de cada categoria e a importância do Regimento interno.
Os diretores socializarão as propostas em suas unidades escolares e na próxima reunião será definida a minuta de Lei em sua versão final. Por Márcia Vinholo

20 setembro 2015

Escolas de tempo integral: jogos

A partir desse ano, uma vez por semana, os estudantes da EMEF Nicácia Garcia Gil participam  de uma aula diferente cheia de desafios, raciocínio, regras e paciência. A intenção da Secretaria de Educação com a aquisição desses materiais para as escolas de tempo integral é levar o estudante a pensar de forma criativa. Além disso, lidar com situações de conflitos, competir de forma saudável, planejar e tomar decisões. 
Neste ano, conforme a turma, estão sendo desenvolvidos diversos jogos. O material é composto de caderno de atividades para o professor e aluno. 
Cada jogo é explorado de forma dinâmica. O jogo Mancala foi desenvolvido em diferentes etapas e atraiu a atenção dos alunos.
Objetivo do jogo
Acumular mais sementes que o oponente no seu depósito (kalaha). 
Regras:
• Coloque 6 sementes em cada uma das suas 6 covas (ou 4 sementes em uma versão mais simples). A cavidade à direita do jogador é seu depósito (Kalaha).
• Esvazie uma de suas covas e distribua essas sementes, uma por uma, nas covas subsequentes no sentido anti-horário, inclusive em sua Kalaha, mas nunca na Kalaha de seu oponente .
• Se a distribuição acabar em sua Kalaha, você joga de novo.
• Se a distribuição acabar em uma de suas covas que estava vazia, as sementes desta cova e da cova oposta vão para sua Kalaha.
• Quando todas as covas de um jogador ficam vazias, o jogo acaba e as sementes restantes nas covas do oponente vão para a Kalaha do jogador que esvaziou suas covas.

Resultado da Avaliação Nacional (ANA) já está disponível no site

Conforme publicado pela UNDIME Nacional a ANA de 2014 indica a necessidade de o país evoluir nos índices de alfabetização dos mais de 20% dos estudantes que estão no nível 1 (alunos provavelmente capazes de ler palavras com estrutura silábica canônica, não canônica e ainda que alternem sílabas canônicas e não canônicas) em leitura e matemática e dos 35% que ainda não conseguem escrever textos. Os dados da avaliação confirmam a influência de fatores alheios à escola no processo de ensino-aprendizagem, principalmente a desigualdade social.
A divulgação do resultado da ANA marcou o lançamento do Painel Educacional do Inep, por meio do qual todas as avaliações da educação básica realizadas pelo instituto conterão informações consolidadas sobre o cenário educacional nos estados, nos municípios e nas próprias escolas. Dentre outros, há indicadores sobre o nível socioeconômico, a complexidade da gestão escolar, esforço e formação docente. O painel contém ainda dados do Censo Escolar, tais como estatísticas de matrícula, taxas de aprovação, reprovação e abandono. E também apresenta os resultados da primeira edição da ANA, realizada em 2013 para formar uma linha de base capaz de permitir análises posteriores.
A ANA é realizada nas escolas públicas que tenham, matriculados, estudantes no terceiro ano do ensino fundamental. Em 2013, 55.836 escolas participaram da avaliação. Em 2014, foram 49.791. A avaliação integra o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, compromisso firmado pelos governos federal, estaduais e do Distrito Federal e administrações municipais. A meta central é assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas aos oito anos de idade até o fim do terceiro ano do ensino fundamental.
Confira aqui a apresentação dos resultados da ANA

Pensar o ato de ler para além da decodificação

Na última terça-feira, dia 15, realizamos mais um encontro com professores coordenadores e professores das turmas de quartos e quintos anos das EMEFs de Marília. Como parte da Oficina Pedagógica Análise Textual, esta etapa teve como objetivo refletirmos sobre a leitura como atribuição de sentido ao texto. 
O encontro ocorreu na sede da Secretaria Municipal da Educação iniciou com a socialização das práticas de três professoras. Durante a fala das mesmas, as monitoras do curso – professoras Joice e Silvana – junto com os demais professores, faziam intervenções e questionamentos. Em seguida realizamos a leitura silenciosa do texto “Velhas Histórias”, de Mário Quintana. O contato com o texto e a ampliação da compreensão, por meio da metodologia “Descoberta de texto” (Bajard), permitiu a análise aprofundada do conteúdo e a relação com a forma do texto.
A proposta de continuidade das atividades foi a aplicação das proposições em sala de aula para novas socializações. Por Silvana Paulina de Souza

1º Campeonato de Vôlei Adaptado do Projeto “Descobrindo Talentos”

O Projeto “Descobrindo Talentos”, desenvolvido no ginásio de esportes “Profª Neusa Maria Bueno Ruiz Galetti”, realizou durante os meses de agosto e setembro um campeonato masculino de vôlei adaptado com todos os alunos da EMEF “Profª Edméa Braz Rojo Sola”, no contraturno escolar.
As inscrições para participar do campeonato foram realizadas nas secretarias da escola e do próprio ginásio de esportes totalizando 115 inscrições. Os times foram montados através de sorteio e divididos proporcionalmente por faixa etária. As equipes homenagearam os jogadores de vôlei que fizeram história na modalidade e que defenderam a seleção brasileira, tais como: Marcelo Negrão, Tande, Giovane, Nalbert, Maurício, Giba entre outros, proporcionando aos seus membros conhecimento sobre a trajetória dos atletas no esporte.
Antes dos jogos entre as equipes, a profª de Educação Física Carmem Eliana, responsável pelo campeonato, realizou com os alunos em suas aulas no projeto, um trabalho visando os fundamentos do esporte: passe, manuseio, deslocamento, arremesso, saque, posições em quadra, recepção, ataque e defesa, além de um trabalho técnico, tático e coletivo para o vôlei adaptado. O intuito do campeonato foi de proporcionar aos alunos a prática ao desporto, socialização e integração do grupo, além de oportunizar situações semelhantes às que o esporte exige para se jogar.
A solenidade de abertura do 1º Campeonato de Vôlei Adaptado masculino contou com a presença dos alunos inscritos e de seus familiares, execução do Hino Nacional e de juramento dos atletas.
As equipes ganhadoras do 1º Campeonato de Vôlei Adaptado foram:
Período da Manhã
Período da Tarde
1º lugar: EQUIPE BERNARDINHO
1º lugar: EQUIPE NALBERT
2º lugar: EQUIPE SERGINHO
2º lugar: EQUIPE VISSOTO
3º lugar: EQUIPE DANTE
3º lugar: EQUIPE GIOVANE

Os vencedores receberam medalhas de acordo com sua colocação.

Alunos das EMEFs de Marília participam do 4º Festival da Cultura do Colégio Cristo Rei


Com o objetivo de apreciar apresentações artísticas e culturais, ampliar as vivências e experiências pessoais, os alunos dos primeiros anos das Escolas Municipais de Ensino Fundamental de Marília, participaram do 4º Festival da Cultura promovido pelo Colégio Cristo Rei, nos dias 10 e 11 de setembro. A proposta do evento foi reunir artes, formação, literatura e conhecimento em uma linguagem dinâmica e divertida.
Durante os dois dias, os ônibus da Secretaria da Educação transportaram cerca de 1000 alunos, dos períodos da manhã e da tarde, para o local do evento. As crianças ficaram envolvidas nas histórias apresentadas pelas contadoras e se divertiram admiradas com a movimentação dos frequentadores da escola de Circo.
As vivências foram significativas e contribuíram para despertar o desejo de ampliar seus conhecimentos.

10 setembro 2015

Capacitação Programa Mind Lab

Dando continuidade ao programa de capacitação do Projeto Mind Lab, as EMEFs Célio Corradi e Nicácia Garcia Gil, trabalharam com o jogo Code Breaker. Neste jogo, destaca-se a importância de obter e transmitir informações claras e precisas, desenvolvendo a habilidade de construir conclusões lógicas a partir das informações disponíveis.
Objetivos do encontro:
• Explicar as vantagens do uso de Jogos de Raciocínio no desenvolvimento de habilidades
• Ressaltar a importância dos Métodos como organizadores de raciocínio
• Apresentar o Método do Semáforo e o Método do Detetive
• Ensinar as regras do jogo “Code Breaker”, do Kit do Aluno
• Promover a construção de estratégias
• Estimular a utilização de estratégias e métodos, nos jogos e na vida
Objetivo do jogo: 

Ser o primeiro jogador a decifrar o código de seu oponente, que é formado por quatro algarismos. 
Preparação do jogo:
1.Cada jogador um recebe um tabuleiro, uma folha de papel e um lápis.
2.Antes do jogo começar, cada jogador cria um código de quarto dígitos e o mantém escondido. O código deve incluir os algarismos de 1 a 4 (Nível 1).
3.Nenhum algarismo deve ser usado mais de uma vez. (Exemplo: um código NÃO pode ser “2 2 1 4”, pois o algarismo 2 aparece duas vezes)
Ilha do tesouro:

Habilidades priorizadas:
•Desenvolver e utilizar estratégias de raciocínio
•Explorar os dados de forma planejada, sistemática e ordenada
•Formular perguntas pertinentes para a melhor compreensão de uma situação-problema
•Planejar ações para alcançar um resultado pré-estabelecido
•Agir de maneira não impulsiva 

09 setembro 2015

Alunos da rede municipal participarão do 4º festival da cultura do Colégio Cristo Rei

Nos próximos dias 9, 10 e 11 acontece mais uma edição do Festival da Cultura do Colégio Cristo Rei. Toda a comunidade escolar já está na expectativa por este momento que promete ser recheado de atrações. Alunos dos primeiros anos das Escolas Municipais de Ensino Fundamental de Marília participarão o evento. O Festival tem a missão de fornecer oportunidades para que o público, sejam crianças, adolescentes ou adultos de todos os níveis sociais, possam encontrar no conhecimento a força motriz para o desenvolvimento pessoal e para uma sociedade mais feliz. No vídeo abaixo os organizadores Laura Tackey Gonçalves e Lourival Ferreira da Cunha falam sobre os objetivos do Festival.

Com uma variada programação composta por oficinas, palestras, atrações artísticas e exposições os organizadores pretendem contribuir com a formação crítica dos alunos de escolas públicas e particulares, universitários, pais, entre outros públicos que visitam o evento. 
Dia 10/09: Manhã
EMEFs
1os anos
Horários:
Américo Capelozza
A e B – 51 alunos
8h15
10h30
Antônio Moral
A e B – 40 alunos
8h15
10h30
Antônio Ribeiro
A, B e C– 62 alunos
8h15
10h30
Cecília Alves Guelpa
A, B e C– 56 alunos
8h15
10h30
Nivando Mariano dos Santos
A e B – 35 alunos
8h15
10h30
Total:
244 alunos


Dia 10/09: Tarde
EMEF
1os anos
Horários:
Américo Capelozza
C, D e E – 76 alunos
13h15
15h30
Antônio Moral
C e D – 53 alunos
13h15
15h30
Antônio Ribeiro
D e E –53 alunos
13h15
15h30
Cecília Alves Guelpa
D e E – 44 alunos
13h15
15h30
Nivando Mariano dos Santos
C e D – 43 alunos
13h15
15h30
Nicácia Garcia Gil
A e B – 50 alunos
13h15
15h30
Total:
266 alunos


Dia 11/09: Manhã
EMEFs
1os anos
Horários:
Célio Corradi
A e B – 50 alunos
8h15
10h30
Gov. Mário Covas
A e B – 46 alunos
8h15
10h30
Isaltino de Campos
A e B – 41 alunos
8h15
10h30
Myrthes Pupo de Negreiros
A e B – 29 alunos
8h15
10h30
Nelson Gabaldi
A – 18 alunos
8h15
10h30
Paulo Reglus Neves Freire
A e B – 42 alunos
8h15
10h30
Roberto Caetano Cimino
A e B – 40 alunos
8h15
10h30
Total:
273 alunos

Dia 11/09: Tarde
EMEF
1os anos
Horários:
Gov. Mário Covas
C, D – 44 alunos
13h15
15h30
Isaltino de Campos
C, D – 44 alunos
13h15
15h30
Myrthes Pupo de Negreiros
C e D – 41 alunos
13h15
15h30
Nelson Gabaldi
B e C – 34 alunos
13h15
15h30
Paulo Reglus Neves Freire
C, D e E – 65 alunos
13h15
15h30
Roberto Caetano Cimino
C – 28 alunos
13h15
15h30
Total:
256 alunos