31 outubro 2014

Outubro: mês da biblioteca. Atividades desenvolvidas nas EMEFs

“A biblioteca escolar oferece serviços de apoio à aprendizagem, disponibilizando livros e outros recursos informacionais aos membros da comunidade escolar, possibilitando-lhes tornarem-se pessoas críticas e usuários competentes de informações em todos os formatos e meios”. Manifesto I FLA/UNESCO para biblioteca escolar

Bate papo com escritor Vitor Dias no Mês Internacional da Biblioteca

Com apenas 12 anos, o escritor mirim lançou seu primeiro livro intitulado “O recomeço da Era”. Segundo Vitor, a inspiração para escrever o livro surgiu de um jogo online de RPG chamado Runescap, ambientado totalmente na era medieval, fato que despertou sua curiosidade e começou a escrever a história aos 10 anos. Hoje já possui o segundo livro da série publicado em abril deste ano, intitulado “Os Mercenários”. 
Seus dois livros fazem sucesso entre os alunos da escola, principalmente dos 5º anos.
Por esta razão, uma vez mais o autor Vitor Dias da Silva, que estudou em nossa escola, EMEF Prof. Américo Capelozza, de 2007 (1ª série) a 2010 (4ª série) participou de um bate papo na biblioteca com os alunos dos 5º anos do período da tarde no último dia 14 de outubro.
Nesse encontro, Vitor discursou sobre toda a sua trajetória para a publicação de seus dois livros, incentivou os alunos com relação à importância da leitura, respondeu sobre algumas curiosidades dos alunos e relembrou a época em que estudou em nossa escola. Ao final, realizou o sorteio de seis livros e os autografou. Os alunos e professores apreciaram esse maravilhoso encontro com este querido autor. 
5º ano D - Professora Sônia Alves Silva de Abreu
5º ano E - Professora Viviani da Silva Pereira Novaes
5º ano F - Professora Maria Filomena Rosa Mateus

Outubro: mês da biblioteca. Atividades desenvolvidas nas EMEFs

Apesar de não ser o responsável pela organização das prateleiras, cabe ao professor conhecer a variedade de títulos e materiais disponível nas bibliotecas escolares para, como um planejamento eficiente e estratégias pensadas, enriquecer o ensino dos conteúdos curriculares.
"O docente deve procurar saber quais são as possibilidades para a sua disciplina. Essa etapa vai facilitar a discussão sobre o formato e o papel das atividades", afirma Lucila Martínez, especialista que implementou políticas da área para governos latino-americanos pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Outubro: mês da biblioteca. Atividades desenvolvidas nas EMEFs

Para que a biblioteca cumpra a função de expandir o conhecimento, é preciso diversificar o acervo e torná-la um ambiente de descobertas

30 outubro 2014

Outubro: mês da biblioteca. Atividades desenvolvidas nas EMEFs

Outubro: mês da Criança, da Leitura, 
da Biblioteca Escolar e do Livro
(...) Uma biblioteca escolar é mais um produto de uma construção coletiva em que participam docentes, a direção docente e professores em primeira instância, mas também os alunos. “Uma biblioteca escolar não nasce, ela se faz” diz, em outro texto Cecilia Bajour (2006). Ou, dito de outra maneira: instalar uma biblioteca nas práticas cotidianas de docentes e alunos, no imaginário da direção docente e administradores de níveis centrais, de equipes de planejamento curricular e de equipes acadêmicos, não é algo que se dá mediante sua inclusão numa norma ou num discurso. Tampouco depende da boa vontade de bibliotecários ou de alguns docentes, ainda que seja possível que dali surjam as primeiras iniciativas. (...) Fonte

Outubro: mês da biblioteca. Atividades desenvolvidas nas EMEFs

As bibliotecas escolares exercem um papel muito importante nas escolas consistindo um veículo de difusão de conhecimento, e isso não ocorre apenas através dos livros, mas também pelas atividades que nela se desenvolvem.
O Dia da Biblioteca Escolar é celebrado na quarta segunda-feira do mês de Outubro, a data foi comemorada pela primeira vez em Outubro de 1999.
Em 2014 celebramos o “Dia da Biblioteca Escolar” no dia 27 de Outubro.
Este dia tem como objetivo destacar a importância das bibliotecas escolares na educação, assim como promover o gosto pela leitura.
Diante do exposto, as Unidades Escolares foram convidadas a registrar as atividades desenvolvidas no espaço das bibliotecas a fim de promover sua visibilidade de forma encantadora, simples e criativa, destacando a sua importância no desenvolvimento do trabalho pedagógico, com foco na conscientização do seu valor nas aprendizagens.

O Projeto “Biblioteca Escolar no ensino fundamental: em busca de um modelo alternativo” da Universidade Estadual Paulista, UNESP de Marília-SP com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo-FAPESP e apoio da Secretaria de Educação do Município de Marília, realizou hoje, dia 24 de outubro de 2014 na escola Reny Pereira Cordeiro, uma atividade chamada Skype Project que contou com a participação da Escola de Ferreiros Amares situada na cidade de Braga em Portugal. Tal atividade aconteceu em comemoração ao mês internacional da biblioteca escolar.
O objetivo da iniciativa foi de relatar sobre atividades feitas em ambas as escolas, principalmente sobre os projetos desenvolvidos no espaço da biblioteca que também se estendem as salas de aulas. A comunicação via Skype foi feita da Escola Reny Preira com a intermediação da Professora Helen de Castro Slva Casarin (coordenadora responsável pelo projeto) e também teve a presença da bibliotecária Mona Cleide Quirino da Silva Farias (Bolsista do projeto), assim como da direção e coordenação da escola. O Tempo de duração do Skype foi de aproximadamente 30 minutos onde as crianças (alunos) de cada uma das escolas, tanto da Escola Reny Pereira Cordeiro como da Escola de Ferreiros Amares, puderam se apresentar e contar um pouco das experiências deles na escola e na biblioteca.
Iniciamos a conversa pelo Skype com a Escola de Ferreiros Amares de Portugal. A responsável pela intermediação foi Professora Idalina Ribeiro (Cordenadora da Biblioteca). Os alunos do 4º ano B apresentaram uma história pequena criada por eles. Além disso participaram com perguntas e curiosidades sobre a Escola Reny Pereira. Na Escola Reny Pereira Cordeiro os alunos do 4º ano A apresentaram sobre algumas atividades deles na bilbioteca, contaram sobre os projetos desenvolvidos pela escola e na biblioteca. Apresentaram o espaço para os colegas de Portugal e também fizeram perguntas sobre a biblioteca na Escola de Ferreiros Amares e comentaram como eles utilizam o espaço da bilioteca na Escola Reny Pereira. Foi um momento de troca de experiências que certamente para os alunos e também para todo grupo da Reny Pereira, vale como incentivo por ser um mecanismo de interação e comunicação com outras escolas e bibliotecas de outros países.

Outubro: mês da biblioteca. Atividades desenvolvidas nas EMEFs

Viajar pela leitura

Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim sem compromisso,
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça 
na imaginação!

Outubro: mês da biblioteca. Atividades desenvolvidas nas EMEFs

Outubro é o Mês Internacional da Biblioteca Escolar. Em todo o mundo, este período é aproveitado para reforçar a visibilidade das bibliotecas escolares e a consciencialização acerca do seu valor nas aprendizagens.

Avaliar é preciso. Saber como, também.

"Entre os maiores dilemas de quem trabalha com a produção de textos em sala de aula está a maneira de como avaliá-los. A professora associada Lívia Suassuna, da Universidade Federal de Pernambuco (Centro de Educação – Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino e Programa de Pós-Graduação em Educação), propõe novas formas de lidar com a questão. Para ela, as produções devem ser confrontadas e discutidas pelo professor num processo de escrita e reescrita. “Só o vai e vem do texto permite a aprendizagem, o investimento, a descoberta de novos caminhos."
Práticas de avaliação presentes na escola
Os modelos de avaliação não são estanques: têm marcas temporais definidas, seguem a lógica que move as práticas da escola. Percebe-se certa inquietação, um desejo de mudar a avaliação. Mas não é fácil romper com o paradigma da avaliação hegemônica, em forma de medida, hierarquizada. Avaliação essa preocupada apenas em saber o que o aluno sabe, o que não sabe, quais os conhecimentos que domina. Essa forma de avaliar produz rotulação, repetência, fracasso, e coloca fora do sistema o aluno que não consegue atingir a competência esperada.
A prática de avaliação deve ser discursiva. O diálogo precisa ocorrer o tempo todo: professor-aluno, alunos entre si, aluno com o conhecimento. O professor precisa olhar, analisar o que o aluno está dizendo, o discurso que traz para a escrita. Essa é uma construção processual. Dizemos isso há anos, e a dificuldade de enxergar discursivamente o texto permanece. A força ainda está centrada na correção gramatical, que nem sempre é feita de maneira adequada. Muitos dos problemas dos textos não são observados. O professor deixa passar, talvez por não considerá-los graves ou não percebê-los. Nas intervenções os comentários são vagos: “Exercite mais a escrita para você aprender mais”, “Escreveu pouco, podia ter escrito mais”, “Você podia ter desenvolvido mais o texto”.
Como se o número de linhas fosse um valor, um indicador de qualidade. O texto está cheio de marcas de correção, e o professor só faz referência ao tamanho. O tamanho do texto, por exemplo, não pode ser um valor em si.
Para saber mais acesse:
http://www.flipsnack.com/OlimpiadaLP/revista-na-ponta-do-lapis-todos.html

29 outubro 2014

Dia nacional do livro

Hoje comemoramos o dia nacional do livro. Essa data é comemorada em 29 de outubro, pois foi uma homenagem a fundação da Biblioteca Nacional em 1810. 
Você sabia que na Idade Média os livros eram feitos a mão e produzidos por monges que usavam tinta e bico de pena para escrever os textos? Um livro pequeno levava meses para ficar pronto. Imaginem só se não tivéssemos todos os recursos avançados que temos hoje para produzir os livros? Com toda a tecnologia que temos hoje, por maiores que sejam eles ficam prontos rapidamente. 
O livro é um meio muito importante para adquirir conhecimento, e contribuir com o desenvolvimento da nossa linguagem e escrita. Além de ser muito gostoso ler! Hoje temos livros de todos os temas, assuntos, histórias, e idades. Escolha o seu preferido e comemore esta data, lendo um bom livro! Fonte

Ensino híbrido ou Blended learning e uso da plataforma Khan Academy

É a combinação do aprendizado on-line com o offline, em modelos que mesclam (por isso o termo blended, do inglês “misturar”) momentos em que o aluno estuda sozinho, de maneira virtual, com outros em que a aprendizagem ocorre de forma presencial, valorizando a interação entre pares e entre aluno e professor.
Normalmente, a parte presencial prescinde de tecnologia. Nessa etapa, o professor ou tutor se torna responsável por propor atividades que valorizem a interações interpessoais. Aqui, o professor pode propor trabalhos que envolvam toda a turma ou pode dividi-la em grupos menores para a realização de projetos.
Já a parte do ensino realizada com o auxílio de recursos digitais permite que o aluno tenha controle sobre onde, como, o que e com quem vai estudar. Nesse sentido, os dispositivos móveis, como tablets e celulares, e a facilidade de utilizá-los em diferentes ambientes abriu o leque de possibilidades sobre onde esse componente pode ser desenvolvido: dentro da própria sala de aula, na biblioteca, no laboratório de informática e até em casa.
Apesar de serem momentos diferentes, o on-line e o presencial, o objetivo do aprendizado híbrido é que esses dois momentos sejam complementares e promovam uma educação mais eficiente, interessante e personalizada. Já há um esforço da academia e das instituições que estudam o ensino híbrido de categorizar as formas como ele vem se manifestando nas diferentes instituições de ensino que optam por adotá-lo.
Confira, a seguir, uma lista com alguns dos arranjos possíveis de combinação de ensino on-line e offline.
Rotação
Ocorre, normalmente, em uma disciplina específica, na qual os alunos rotacionam por modalidades diferentes de aprendizagem. Um dos formatos possíveis é que o professor monte “estações” com propostas diferentes. Em uma, parte dos alunos podem se dedicar ao ensino via plataformas digitais. Em outra, os estudantes podem estar desenvolvendo projetos em pequenos grupos. Em uma terceira, outro grupo de alunos pode estar com o professor, tirando dúvidas.
Flex
A plataforma on-line é a espinha dorsal desse tipo de ensino. Professores estão por ali, em maior ou menor proporção, tirando dúvidas que apareçam pessoalmente, para cada um ou para grupos pequenos.
Laboratório on-line
Uma plataforma on-line entrega o curso inteiro, mas num lugar físico. Frequentemente os alunos que participam do laboratório também têm aulas tradicionais. Fonte
Nesta quarta-feira 29-10-14 recebemos a visita do formador da Khan Academy Fernando Mello Trevisanidas instrutoras de informática Camila Carvalho e Maria Alessandra para socialização com nossas escolas das praticas realizadas na cidade de Salto Grande - SP.
A palestra abaixo foi apresentada pela Instrutora Camila Carvalho aos professores, professoras coordenadoras e instrutores de informática das EMEFs Américo Capelozza, Cecilia Guelpa, Nelson Gabaldi e Roberto Caetano Cimino (participantes do projeto piloto Khan Academy) sobre o trabalho do Grupo de Experimentações em Ensino Híbrido realizado junto a Fundação Lemann e Instituto Península o qual a referida instrutora faz parte.
Fotos do encontro:

27 outubro 2014

Reunião de professoras coordenadoras de EMEF e EMEFEI

Vídeos utilizados:


SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃ ENCERRA SEMANA DE SOCIALIZAÇÃO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

Encerrou-se na última sexta-feira, 24 de setembro, a Semana de Socialização de Práticas Pedagógicas entre os professores da Rede municipal. Participaram do evento, como promotores das discussões, professores das EMEIs e EMEFs que junto com diretores, professores coordenadores, coordenadores e pais de aluno buscaram refletir e evidenciar práticas significativas na rede municipal e buscar maneiras de proporcionar condições para a promoção de ensino de qualidade.
Os trabalhos apresentados na noite de sexta-feira, antes desenvolvidos nas salas de aula pelas professoras, foram:
· Vem cantar com a gente, elaborado pela Professora Carla Regina Araújo – Infantil II – da EMEI Sementinha;
· O canto dos pássaros, elaborado pela Professora Neusa Prado de Oliveira Santana – Nível III – da EMEI Irmão Maurício;
· Jornal Legal, elaborado pela Professora Ana Cláudia Sardi Guedes – Infantil II – da EMEI Sambalelê;
· Descoberta do texto: uma estratégia a favor da leitura, elaborado pela professora Maraísa Priscila Samuel da Silva – 1º ano – da EMEF Professor Isaltino de Campos
A Semana proporcionou inúmeras possibilidades de reflexão sobre as práticas em sala de aula. As ações desenvolvidas foram apresentadas de forma prática e clara, elas, certamente fazem parte do cotidiano das salas de aula da rede municipal.
Na fala dos professores, ficou clara a importância da gestão escolar como apoiadora de ações em sala de aula.
Parabéns a todos. Por Silvana Paulina de Souza

24 outubro 2014

Socialização de práticas pedagógicas 2014

Oitavo encontro do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

O objetivo deste encontro foi oferecer subsídios aos professores para que planejem modos de levar o aluno a:
• construir estratégias para medir comprimento, massa, capacidade e tempo, utilizando unidades não padronizadas e seus registros; 
 compreender o processo de medição, validando e aprimorando suas estratégias;
• reconhecer, selecionar e utilizar instrumentos de medida apropriados à grandeza (tempo, comprimento, massa, capacidade), com compreensão do processo de medição e das características do instrumento escolhido;
• produzir registros para comunicar o resultado de uma medição, explicando, quando necessário, o modo como ela foi obtida;
• comparar comprimento de dois ou mais objetos para identificar: maior, menor, igual, mais alto, mais baixo, etc.;
• identificar a ordem de eventos em programações diárias, usando palavras como: antes, depois, etc.;
 reconhecer a noção de intervalo e período de tempo para o uso adequado na realização de atividades diversas;
• construir a noção de ciclos através de períodos de tempo definidos por meio de diferentes unidades: horas, semanas, meses e ano;
• identificar unidades de tempo – dia, semana, mês, bimestre, semestre, ano - e utilizar calendários e agenda; além de estabelecer relações entre as variadas unidades de tempo;
• leitura de horas, comparando relógios digitais e analógicos;
• reconhecer cédulas e moedas que circulam no Brasil e de possíveis trocas entre cédulas e moedas em função de seus valores em experiências com dinheiro em brincadeiras ou em situações de interesse das crianças.
Leitura deleite:

Reunião com professoras coordenadoras de EMEF e EMEFEI


Explorando as unidades de medida

23 outubro 2014

II CONCURSO MULTIMÍDIA ENVOLVE INFORMÁTICA EDUCATIVA E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

A Secretaria Municipal de Educação de Marília promoveu na tarde de ontem, quarta-feira, 22/10, a entrega dos prêmios aos vencedores do II Concurso Multimídia: Educação na Era Digital. O evento contou com a presença dos diretores, professores e instrutores de informática, além de todos os alunos classificados nos três primeiros lugares.
A era da informática está instalada. A todo instante nos deparamos com situações que exigem um conhecimento mínimo de tecnologia, por isto a todo o momento há a preocupação dos professores em capacitar os alunos para o uso da informática como instrumental para o ensino e a aprendizagem. Assim, ao proporcionar ações dos alunos utilizando as ferramentas disponibilizadas pelo universo digital, os professores capacitam os alunos para ganharem autonomia na sociedade contemporânea.
Foi com mais esse propósito que a Secretaria Municipal da Educação promoveu o concurso como uma forma de reconhecimento dos trabalhos dos professores. Para participar do concurso, as escolas inscritas deveriam utilizar-se dos recursos tecnológicos para elaboração, apresentação, registro e pesquisas relacionadas aos conteúdos de Matemática nas diferentes áreas - Espaço e Forma, Grandezas e Medidas, Números e Operações e Tratamento da Informação.
A Secretária, Profª Drª Fabiana Rodrigues Cruvinel, agradeceu a participação de todas as escolas que elaboram projetos e concorreram aos prêmios, sendo um total de nove escolas: EMEF Prof. Antônio Moral, EMEF Prof. Antônio Ribeiro, Profª. Edméa Braz Rojo Sola, EMEF Gov. Mário Covas, EMEF Prof. Nelson Gabaldi, EMEFEI Roberto Caetano Cimino.
Neste ano, as escolas vencedoras foram: 

3º Lugar: Projeto - Na terra dos Gigantes
EMEF Professor Olímpio Cruz
Diretora Vanessa Doretto Ribeiro Mouro
Professora Matilde Ricardo Gomes Rodrigues – turma: 2º ano-D
Instrutor Edy Madi Artioli

2º Lugar: Projeto - Matemática divertida 
EMEF Prof. Paulo Reglus Neves Freire
Diretora Mirella Clemente Armentano
Professora Rosemary Fernandes Lima Ribeiro – turma: 1º ano-C
Instrutor Franco Manzano Esaki

1º Lugar: Projeto Problemateca - jogos, desafios e curiosidades na era digital
EMEF Profª Geralda César Vilardi
Diretora Maria Lúcia Gonçalves Buim
Profª Alessandra Bitencourt de A. Pavarini – turmas: 4º ano – B e C
Instrutora Elisângela Canaciro Alonso

Reunião ordinária do Conselho Municipal de Educação

O Conselho Municipal de Educação se reuniu no dia 21 de outubro, no período da tarde. A reunião foi presidida pelo Presidente Prof. Fábio Borges dos Santos.
Os temas abordados foram o credenciamento de entidades e o Plano Municipal de Educação. 
O credenciamento de entidades filantrópicas com fins educacionais deve ser realizado junto ao MEC, no CEBAS, anexando online toda a documentação solicitada. A certificação da entidade será expedida por este órgão.
Em seguida os membros do CME elegeram os conselheiros que irão compor a comissão que irá direcionar os trabalhos para a adequação do Plano Municipal de Educação ao Plano Nacional de Educação – Lei 13.005 de 25 de junho de 2014. 

Socialização de práticas pedagógicas 2014

Nesta quarta-feira, 22/10, no auditório da Secretaria Municipal da Educação, teve continuidade a “Socialização de Práticas Pedagógicas 2014”. O evento que tem como objetivo central difundir e valorizar práticas pedagógicas realizadas pelos Professores da Rede Municipal de Ensino de Marília. Neste dia tivemos a explanação de quatro experiências, sendo que três foram de Educação Infantil e uma do Ensino Fundamental. 
Contamos com a presença da Secretária da Educação Profa. Dra. Fabiana Rodrigues Cruvinel, do Diretor de gestão escolar Professor Joaquim Bento Feijão, de Professores, Coordenadores e Equipe gestora que puderam apreciar os excelentes projetos realizados. O trabalho inicial apresentado “Que som é esse?” foi da Professora da EMEI “Criança Feliz” Fernanda Aguiar Milaré de Souza realizado com crianças do nível II e Maternal I onde foram explanadas diferentes possibilidades de ampliar a linguagem oral das crianças e desenvolver a atenção, o gosto e a sensibilidade em relação à música. Em seguida foi relatada a experiência “Direitos de ser criança” da Professora Sandra Regina Esteci Gonçalves da EMEI “Fernando Mauro” com crianças do Maternal II onde partiu- se do conteúdo da Declaração dos Direitos da Criança, previstos em dez princípios, e foram trabalhados através de brincadeiras, músicas, histórias, diálogos e temas transversais. 
A penúltima explanação “A gente gosta de brincar de circo” da EMEI “Leda Casadei” foi apresentada pelas professoras Rita Silva e Marileide Mascarin que a partir do tema “Circo” elencou inúmeras possibilidades de ampliar os conhecimentos das crianças nas diferentes linguagens fundamentais ao desenvolvimento integral infantil. O último projeto socializado foi “Viajando nas bolhas do conhecimento” realizado com o 1° ano da EMEF “Profª Reny Pereira Cordeiro” apresentado pelo Professor Edinelson Lopes que partiu do tema “bolhas” para promover diversificadas experiências de aprendizagens nas diferentes áreas do conhecimento com o foco investigativo, desafiador e principalmente lúdico, respeitando as especificidades da infância. Por Marcelo Campos Pereira.

22 outubro 2014

Socialização de Práticas Pedagógicas 2014

Veja as fotos:

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO ABRE PROCESSO DE MATRICULAS PARA 2015 NA REDE MUNICIPAL À CRIANÇAS DE ATÉ 5 ANOS

De 29 a 31 de outubro, a Secretaria Municipal da Educação estará iniciando o processo de matrículas nas creches e pré- escolas para o ano letivo de 2015, que será realizado em três etapas. Inicialmente abertas as inscrições para os alunos que se encontram fora da Rede Municipal de Educação Infantil. O horário de atendimento nesse período será entre 8h00/11h30 e 13h00/16h00, em todas as unidades escolares. 
A faixa etária atendida é de crianças até cinco anos de idade. Os pais deverão procurar a escola mais próxima de sua residência para preencher uma ficha de inscrição, devendo apresentar os seguintes documentos : certidão de nascimento, comprovante de renda, comprovante de residência, atestado de trabalho (período integral), cartão Bolsa Família e RG/CPF dos pais ou responsáveis.
No dia 7/11 será divulgada a lista de classificação e os resultados para matrícula dos candidatos às vagas existentes na rede municipal de educação infantil. Os alunos aptos à matricula deverão ter preenchidos os seguintes critérios: endereço residencial (área de abrangência da escola), irmão matriculado, renda “per capita”, beneficiário do programa “Bolsa Família”, mãe trabalhadora (período integral) e local de trabalho da (o) responsável próximo à escola. 
Em seguida, nos dias 12, 13 e 14 de novembro, se dará a efetivação da matrícula dos alunos nas escolas municipais. Por Andréa Tejo

REUNIÕES PROGRAMA PREFEITO AMIGO DA CRIANÇA – ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA


Serão realizadas nas datas especificadas acima as reuniões do Programa Prefeito Amigo da Criança – Elaboração do Plano Municipal da Infância e Adolescência.
As reuniões serão realizadas na Secretaria Municipal da Educação, nas datas e horários especificados, por um grupo de trabalho coordenador, tendo como moderadora a Coordenadora de Gestão Escolar Thays Helena Esteves Rossato.
O grupo de trabalho deverá proceder à sistematização dos objetivos propostos para cada problema analisado durante o Seminário realizado em 14 de Outubro.
Por Thays Helena Esteves Rossato

"Socialização de práticas pedagógicas 2014"

ESCOLAS MUNICIPAIS PARTICIPAM DO II CONCURSO MULTIMÍDIA NA ERA DIGITAL

A inserção do uso dos recursos tecnológicos nas ações pedagógicas para o desenvolvimento do currículo das escolas desde as séries iniciais atende as necessidades de comunicação e de relações com a sociedade atual. Vivemos uma realidade onde as ferramentas tecnológicas fazem parte do cotidiano dos homens. A presença desses recursos na vida da criança brasileira é uma realidade que não deve ser ignorada, sendo assim, na escola não poderia ser diferente. Por meio deles o aluno participa de ações culturais, tem contato com outras realidades e consegue uma interação lúdica via mídia eletrônica.
Diante desse quadro, a Secretaria Municipal de Educação de Marília promoveu o II Concurso Multimídia: “Educação na Era Digital com foco na Educação Matemática”. O objetivo foi valorizar as ações pedagógicas dos professores e instrutores que utilizam a tecnologia como suporte de um trabalho dinâmico, consciente e reflexivo em sala de aula.
As escolas municipais estão equipadas com ferramentas tecnológicas para auxiliar no novo modelo de práticas pedagógicas que se apresenta. Com assessoria dos instrutores de informática, elas fizeram inscrições de trabalhos que envolveram o uso dos recursos tecnológicos para a elaboração de atividades que envolviam os conteúdos de Matemática. Com esta ação, a Secretaria pretende incentivar o uso desses recursos para o registro e armazenamento de informações, apresentação aos diferentes grupos e pesquisa em sala de aula. 
Os trabalhos foram enviados para a Secretaria da Educação e passaram por análise da equipe de jurados composta pela equipe pedagógica. A premiação das três primeiras colocadas ocorrerá no dia 22 de outubro de 2014, às 14h30 no auditório, da sede da Secretaria Municipal da Educação.
Os professores, instrutores e alunos envolvidos receberão prêmios, diplomas e medalhas de acordo com a classificação. Por Silvana Paulina de Souza.

21 outubro 2014

“Socialização de Práticas Pedagógicas 2014”

Nesta segunda-feira, 20/10, no auditório da Secretaria Municipal da Educação, teve início a “Socialização de Práticas Pedagógicas 2014”. O evento tem como finalidade valorizar o trabalho realizado pelos profissionais de educação na nossa rede e socializar as excelentes experiências pedagógicas desenvolvidas. Tivemos neste primeiro dia a socialização de cinco professores da Rede Municipal de Ensino, que foram convidados por suas práticas pedagógicas de êxito. 
Contamos com professores, coordenadores e equipe gestora na plateia, prestigiando o evento que incluiu diferentes formatos de apresentações. O primeiro trabalho exposto foi o da professora Carla Mayara dos S. de Jesus, da EMEF Prof. Nelson Gabaldi, com o tema “Trabalhando com cantinhos”, que trazendo seus próprios alunos pode demonstrar aos presentes, ao vivo, como esta forma de trabalho funciona. A professora Lucimar de Souza Fagundes Dantas, EMEF Profª Geralda Cesar Vilardi, com o tema “Do conto para a panela” estimulou a criatividade, o pensamento e a linguagem dos alunos por meio da beleza e do encanto dos contos infantis e do trabalho com texto instrucional “receita”, gênero inserido no contexto social dos alunos.
Com a “Sessão de mediação: do planejamento à ação, as responsabilidades do padrinho da escrita” a professora Patrícia Aparecida Fernandes Semensato, da EMEF Profª Myrthes P. de Negreiros, nos trouxe os benefícios das sessões de mediação de leitura e sua eficácia pedagógica na melhoria dos processos do ato de ler. As professoras Rosália Francisco dos Santos e Ingrid Aparecida dos S. Paiva Nunes, da EMEI Bem te vi, trouxeram suas belas experiências no projeto “Estrela que brilha”, em um novo formato na organização das atividades das turmas do período integral: grupo de dança, coral, passeios, oficinas e diferentes atividades que complementam e promovem o desenvolvimento integral de cada criança. Por Camila Pereira da Silva de Oliveira

SARESP 2014 - Reunião com diretores

O Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) é uma avaliação aplicada aos estudos do ensino fundamental e médio do Estado de São Paulo. O resultado da prova, combinado ao fluxo de alunos de cada escola, compõe o Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo), indicador que avalia a qualidade da educação no Estado. 
Mais do que avaliar as escolas, o Saresp ajuda a monitorar e a traçar planos e metas para o ensino das escolas públicas paulistas. 
Participar da avaliação é importante para avaliar os sistemas de ensino paulistas e nortear políticas públicas da área educacional no Estado. Com os resultados, os educadores passam a contar com informações sobre as dificuldades apresentadas pelos alunos e podem buscar melhores estratégias de ensino. 
Desde 2013, as crianças do 2º ano do Ensino Fundamental também prestam a prova. A mudança acontece em razão da determinação da Secretaria da Educação do Estado em adotar os 7 anos de idade como a nova meta etária de alfabetização em São Paulo, enquanto no Brasil a meta é de 8 anos. 
Em 2014, o Saresp será realizado nos dias 11 e 12 de novembro
São cobradas as competências e habilidades que se espera que os alunos tenham desenvolvido até o final de cada ciclo do ensino. 
Haverá aplicação de prova de Redação para uma amostra de turmas dos 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio de cada rede de ensino.
Arquivo utilizado:

20 outubro 2014

Por que as aulas de Educação Física são importantes?

Por meio dessa disciplina e sob a orientação de profissionais de Educação Física, as crianças e os jovens aprendem e se preparam para desenvolver as habilidades de ser, conviver, conhecer e fazer - exatamente os quatro pilares que dão base ao ensino, segundo a Unesco. 
Aulas de Educação Física significam muito mais do que atividades corporais. Por meio da apreensão de conhecimentos específicos dessa disciplina e da prática regular de atividades físicas e esportivas, seu filho desenvolve competências, capacidades e habilidades, associadas às dimensões afetivas, cognitivas, sociais, psicomotoras, e internaliza valores. Pela participação em atividades individuais e coletivas ele deixará de pensar apenas em si mesmo para contribuir para o bem-estar comum. 
Terá ainda de aprender a dividir tarefas, de modo a encontrar soluções para todo tipo de situação, inclusive as derrotas. Vai descobrir o quanto vale a amizade, a parceria e a colaboração. Irá propor alternativas nas vivências de práticas corporais - por exemplo, por meio de jogos cooperativos, danças, diferentes formas de praticar modalidades esportivas, entre outras. 
E porque essa disciplina coloca em destaque o corpo humano, esta cartilha também fala sobre os sinais que revelam o uso errado do próprio corpo por seu filho, prejudicando o rendimento escolar como um todo. Lembre-se: ao desenvolver a consciência corporal, seu filho naturalmente vai se interessar por um estilo de vida saudável com maiores possibilidades de êxito em sua trajetória. Fonte

Alunos da rede municipal assistem espetáculo circense

Nos dias 13 e 14 de outubro a companhia “Tomara que não chova”, de Campinas, trouxe para cerca de 2.000 alunos da rede municipal de ensino de Marília um espetáculo teatral com apresentação circense gratuita. Com quatro sessões, que aconteceram no Espaço Cultural Ezequiel Bambini, a peça contou com palhaços fazendo atividades em alusão ao palco e ao picadeiro.
Num cômico encontro, do Maluco Palhaço Penico com o brincalhão palhaço Espuleta, os alunos puderam se divertir através da pureza e da alegria da dupla. Entre malabarismos, mágicas, números circenses muito “perigosos” e, claro, muitas trapalhadas, os dois revelaram o que o picadeiro do circo tem de melhor e simplesmente divertiram e encantaram os pequenos espectadores. 
A apresentação faz parte do projeto “Atenção Respeitável Público!”, que é realizado pela 3S Projetos, com recursos incentivados pelo ProAC (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo) com o patrocínio da Dori Alimentos. 

17 outubro 2014

Curso: "matemática - reflexões sobre o contexto atual"

O senso de medida ou as diferentes interpretações da medida:
  1. Distância (comprimento, altura, largura, espessura, profundidade e tamanho e noções de horizontalidade, verticalidade, perpendicularidade e paralelismo)
  2. Superfície (possui propriedades físicas: cor, brilho, extensão, aspereza, etc.)
  3. Espaço (a medida do espaço vazio ou maciço é a mesma, se ele for compacto a medida se chamará volume, se for oco, se chamará capacidade, volume é medido em unidades cúbicas e capacidade em litros)
  4. Massa (é matéria, enquanto peso é força, o peso depende da gravidade local e a massa não)
  5. Calor (é uma forma de energia que eleva a temperatura dos corpos e, por isso, ele é popularmente confundido com temperatura)
  6. Rapidez
  7. Duração
Sugestões de atividades
14/10/14
3º feira
18h00
21h00

I Seminário de Mobilização do Programa Prefeito Amigo da Criança: Elaboração do Plano Municipal da Infância e Adolescência

 
Com o objetivo de iniciar o processo de elaboração de um Plano Municipal para a Infância e Adolescência em Marília, com vigência até 2022, a Secretaria Municipal da Educação promoveu o I Seminário de Mobilização do Programa Prefeito Amigo da Criança: Elaboração do Plano Municipal da Infância e Adolescência, no dia 14 de outubro. O evento, realizado das 8h30 às 17h00, no Auditório Bloco VIII da UNIMAR – Universidade de Marília, é o primeiro passo dado pelo município após a adesão ao Programa Prefeito Amigo da Criança, da Fundação Abrinq – Save the Children, assinado pelo prefeito Vinicius Camarinha, em 2013.
O seminário contou com a apresentação do programa realizada pela Articuladora Municipal, Secretária Municipal da Educação, Profa. Dra. Fabiana Rodrigues Cruvinel e “mesa redonda” composta pelo Exmo. Sr. Dr. José Roberto Nogueira Nascimento, Juiz de Direito da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Marília, Exmo. Sr. Dr. Jurandir Afonso Ferreira, Promotor de Justiça da Vara da Infância e Adolescência, e Exma. Sra. Dra. Cássia Zanguetin Michelão, Defensora Publica, com tema “O Estatuto da Criança e do Adolescente e os desafios atuais”.
Durante o evento, a Articuladora do Município Profa. Dra. Fabiana Rodrigues Cruvinel apresentou a metodologia utilizada para a elaboração do Plano Municipal para a Infância e Adolescência. Ela destacou que são priorizados dois aspectos: o diagnóstico dos principais indicadores para se determinar as prioridades, e o planejamento de quais ações são necessárias para se atingir as metas. 
No período da tarde foram realizadas oficinas de estudos para melhor elaboração do Plano, contando com a participação de diversos seguimentos da sociedade, como Representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, das secretarias da Saúde, Assistência Social, Juventude, dos Conselhos Municipais de organizações da sociedade civil, entre outros, estimando cerca de 200 participantes.
“O debate público e a participação da sociedade são muito importantes para a elaboração do plano, que é um grande desafio que nosso prefeito assumiu”, afirmou a Secretária Municipal da Educação. Por Thays Helena Esteves Rossato