12 junho 2017

Equipe da Educação Especial faz curso em SP e multiplica conhecimentos em Marília


Grupo de Marília durante curso no Centro Inclusão Eficiente
Cidade tem, no ensino regular, cerca de 270 alunos com algum tipo de deficiência matriculados

A adaptação curricular foi tema de um curso de formação, promovido em São Paulo, com participação de servidores do Departamento de Educação Especial, da Secretaria Municipal de Educação de Marília. Em oficinas de capacitação, o conhecimento adquirido nesse curso está sendo compartilhado com profissionais da rede. Os esforços refletem o compromisso com as cerca de 270 crianças que estão matriculadas no ensino regular no município e têm algum tipo de deficiência.

Em maio, três profissionais do setor estiveram em São Paulo e participaram do curso oferecido pelo Centro Inclusão Eficiente, um dos pioneiros no Brasil em consultoria especializada em assessoramento de Reabilitação e Inclusão.

Sabrina replica o conhecimento para professores de Marília
A supervisora do Departamento de Educação Especial da secretaria, Sabrina Alves Dias, conta que atualmente o município tem 35 profissionais no AEE (Atendimento Educacional Especializado). Como não seria possível levar todos à Capital, a equipe organizou as oficinas locais.

O objetivo é capacitar tanto os professores do atendimento educacional especializado como a equipe gestora de cada unidade escolar, em relação à adaptação. “Existe um currículo comum que precisa ser contemplado. Quando há necessidade de adaptação, em função da deficiência do aluno, precisamos considerar as habilidades que ele já possui, para que possa haver a adequação da metodologia do ensino. A sensibilidade do educador é fundamental”, afirma.

Sabrina lembra que a equipe do AEE é referência para professores, diretoras, coordenadoras e servidores em geral, porém a inclusão é um compromisso de todos na rede. “Sempre temos avanços a serem feitos. Também precisamos estar atualizados de forma constante. Mas quando olhamos para a realidade atual da nossa rede em Marília, temos que valorizar as inúmeras conquistas”, acredita.

DESAFIO MUNDIAL

O movimento mundial pela educação inclusiva é uma ação política, cultural, social e pedagógica,
desencadeada em defesa do direito de todos os estudantes de estarem juntos, aprendendo e
participando, sem nenhum tipo de discriminação. 

Embora no Brasil, de forma geral, o tema pareça recente, a Política Nacional da Educação Especial, na Perspectiva da Educação Inclusiva, inaugurou seu debate pela Constituição Federal de 1988. A pauta tornou-se ainda mais recorrente e urgente após a Declaração de Salamanca (Espanha), seis anos depois.

Somente no início de 2008, porém, após portaria do Ministério de Educação que instituiu e permitiu um trabalho amplo de professores pesquisadores da área da educação especial, a Política Nacional foi apresentada como uma diretriz norteadora para o país.

Dessa forma, atualmente, em todo o Brasil, lugar de criança com deficiência é na escola, junto com os colegas, tendo respeitadas as duas especificidades no aprendizado e garantidos todos os direitos ao ensino, mobilidade, saúde e segurança.

Texto: Carlos Rodrigues
Foto: Júlio César de Carlis

Nenhum comentário:

Postar um comentário