18 abril 2016

Reunião com diretores e professoras coordenadoras de EMEF

Ocorreu nesta terça-feira 12/04, mais um encontro com os diretores e professoras coordenadoras de EMEF. O tema tratado no encontro foi: "Qual o papel da Gestão escolar no processo de inclusão"?
Iniciamos o encontro retomando alguns conceitos relacionados ao trabalho com a inclusão escolar: trata-se de uma adaptação curricular ou de uma adequação curricular?
Oliveira (2008) conceitua as Adequações Curriculares como “respostas que devem ser dadas pelo sistema educacional para favorecer todos os alunos, possibilitando o acesso a currículo, sua participação integral e o atendimento às necessidades educacionais especiais” (p. 140).
A seguir fizemos uma retrospectiva histórica do processo de inclusão na rede e a gênese da elaboração do RACEF - Referencial de Adequação Curricular do Ensino Fundamental. 
Outro ponto tratado foi a legislação que ampara a inclusão escolar: Lei 9394/96 - Art. 58 e 59, Diretrizes Curriculares, Estatuto Brasileiro da Inclusão LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015, Art. 27 e 28, além dos vários tipos de acessibilidade: acessibilidade arquitetônica, comunicacional, metodológica, instrumental, programática e atitudinal.
Critérios e cuidados para a Adequação Curricular Individualizada
  • Detalhar com precisão para onde e como dirigir a ajuda aos alunos que necessitam,
  • Ter como base de referência o currículo do ano em que o aluno está matriculado. 
  • Os conteúdos a serem trabalhados podem ser de ciclos ou cursos anteriores ou posteriores;
  • Supõem a significativa modificação dos elementos do currículo referido
  • Assegurar que estejam em andamento outros recursos comuns (reforço, apoio, AEE...);
  • Ter em conta os aspectos positivos do aluno que mais se destacam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário