10 julho 2014

"INCENTIVO A LEITURA" - EMEF Reny Pereira Cordeiro

A leitura e a interação texto/leitor. O texto inexiste sem a presença do leitor. É o leitor que dá voz e vida ao texto, não importa em que campo de conhecimento esse se inscreva. É no cruzamento de vozes – do autor e dos leitores – que os seus sentidos vão se constituindo e outras leituras ou outros textos vão se configurando numa constelação de saberes e conhecimentos que se mesclam e se interpenetram como numa partitura de muitos acordes e num arco-íris de mil cores. Cada tom, cada som, matiza-se de outros tantos sons e cores trazidos da vivência coletiva e pessoal de cada um de vocês, leitores. A experiência é, inegavelmente, a grande personagem dessa narrativa.
Acreditem se quiserem, mas esta é a assertiva mais coerente no campo dos estudos da leitura. Tudo mais são hipóteses que se constroem no ato de ler, para se abrirem em outras perguntas e outras tantas respostas de que, muitas vezes, o texto apenas indica pistas e caminhos. É importante que vocês percebam que todo texto dialoga com a cultura de sua época e com a leitura. Compreender isto, é ler antenado ao contexto histórico-social e cultural, sobre o qual o texto se inscreve.
A trilha marcada pela materialidade do texto vai sendo devassada pelo leitor, que encontra no escritor o seu guia. A escolha por tal ou qual caminho cabe a você, professor leitor. O mesmo procedimento vale para o seu aluno.
A ele deve ser dado o direito de leitura. Isto significa dizer que o leitor, seja iniciante ou experiente, encontra no texto marcas que o orientam a uma leitura que se entrecruza com saberes oriundos de vários lugares: do autor, de outros textos, do conhecimento da língua, de mundo, de suas histórias de leitura e de suas experiências de vida. São os chamados conhecimentos prévios. Tanto valem para o leitor, quanto para o escritor. Verbena Maria
Lê-se por muitas razões:
“(...) para se obter informações, seguir instruções, aprender ou ‘ressignificar’ conteúdos, navegar na Internet, planejar uma aula ou proferir uma conferência, produzir um texto, desenvolver o gosto pela leitura, entreter-se, transitar por outros tempos e lugares reais ou imaginários, escapar à realidade, ou por prazer estético, dentre tantas razões que mobilizam o leitor, conforme seus múltiplos desejos e as diferentes situações de comunicação impostas por um dado contexto sócio-histórico-cultural”. (Cordeiro, 2004, p. 98)
Trabalho realizado com o acervo literário entregue pela Secretaria Municipal da Educação para todas as escolas da rede municipal de ensino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário