16 abril 2013

Segundo dia de formação: "Pacto pela alfabetização na idade certa"

Ilustrações: Otávio Silveira
Unidade 5 - Gêneros Textuais:
Os especialistas dizem que os gêneros são, na verdade, uma "condição didática para trabalhar com os comportamentos leitores e escritores". A sutileza - importantíssima - é que eles devem estar a serviço dos verdadeiros conteúdos os chamados "comportamentos leitores e escritores" (ler para estudar, encontrar uma informação específica, tomar notas, organizar entrevistas, elaborar resumos, sublinhar as informações mais relevantes, comparar dados entre textos e, claro, enfrentar o desafio de escrevê-los). "Cabe ao professor possibilitar que os alunos pratiquem esses comportamentos, utilizando textos de diferentes gêneros", afirma Beatriz Gouveia, coordenadora do Programa Além das Letras, do Instituto Avisa Lá, em São Paulo.
Dois currículos para trabalhar com gêneros na prática
Proposta de Nova Lima 
Proposta da Escola Projeto Vida
Ilustrações: Otávio Silveira
Arquivo utilizado:

Leitura deleite:


TREM DE FERRO – MANOEL BANDEIRA / TOM JOBIM 
Animação da poesia Trem de Ferro, de Manuel Bandeira, exibida no Castelo Rá-Tim-Bum da TV Cultura.
Professor, este vídeo mostra a poesia de Manuel Bandeira musicalizada por Tom Jobim.

Transmutação do gênero poético
A casa - Vinícius de Moraes
Em quais outros gêneros textuais é possível fazer a transmutação do poema “A casa” de Vinícius de Moraes?
Educação Especial
“[...] a deficiência não é algo que emerge com o nascimento de alguém ou com a enfermidade que alguém contrai, mas é produzida e mantida por um grupo social na medida em que interpreta e trata como desvantagens certas diferenças apresentadas por determinadas pessoas. Assim, as deficiências devem [...] ser encaradas também como decorrentes dos modos de funcionamento do próprio grupo social e não apenas como atributos inerentes às pessoas identificadas como deficientes.” 
Sadao Omote, 1994
Existe uma estória que foi construída em torno da dor da diferença: a criança que se sente não bem igual às outras, por alguma marca no seu corpo, na maneira de ser...
Esta, eu bem sei, é estória para ser contada também para os pais. Eles também sentem a dor dentro dos olhos. Alguns dos diálogos foram tirados da vida real. 
Ela lida com algo que dói muito: não é a diferença, em si mesma, mas o ar de espanto que a criança percebe nos olhos dos outros [...]
O medo dos olhos dos outros é sentimento universal. 
Todos gostaríamos de olhos mansos...
A diferença não é resolvida de forma triunfante, como na estória do Patinho Feio. 
O que muda não é a diferença. 
São os olhos...
RUBEM ALVES, 1987


Leitura deleite:

6 comentários:

  1. É importante referenciar os slides sobre Educação especial "Quebrar Mitos"....Fernanda Oscar Dourado Valentim - professora EMEF Marília, Mestre em Educação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita e interlocução!
      Consideramos importante também, mas apenas publicamos o material utilizado no encontro.
      Volte sempre
      SME - Marília

      Excluir
  2. Parabéns pelo Blog e pelo trabalho desenvolvido neste município...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Ficamos muito felizes com a visita.
      Volte sempre!
      SME - Marília

      Excluir
  3. Muito lindo este Blog com muitas informações. Parabéns pelo trabalho de vocês...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecemos a visita e o elogio!
      Volte sempre!
      SME - Marília

      Excluir