09 outubro 2013

Oficina de Autismo e Estratégias Psicopedagógicas - Professora Doutora Rossana Seabra

“O desconhecimento estimula a omissão; o conhecimento nos liberta do preconceito, da segregação e da falta de cidadania”.


Fotos:
Há os anjos sem asas e as madonas sem mãos, 
e a sandália sem dança 
e há o alaúde sem os dedos, o nome sem a pessoa, 
o canto sem voz 
e muito mais lágrimas que olhos. 
Cecília Meireles, As escadas medievais...
Resumindo, as estratégias educativas no atendimento psicopedagógico devem contemplar:
•   Considerar o autismo um transtorno do desenvolvimento.
• Priorizar objetivos funcionais e a necessidade de intervenção em ambientes naturais de interação.
• Utilizar procedimentos baseados nas técnicas de modificação de comportamento.
•   Promover um ambiente estruturado e previsível.
• Objetivar a evolução e adaptação dos objetivos às características pessoais dos alunos, definindo os pré-requisitos evolutivos e funcionais. Sistemas de generalização das condutas aprendidas.
• Envolver a família e a comunidade.
• Ser intensivas e precoces.
• Ignorar as condutas indesejáveis, e reforçar situações de potencialização de habilidades adaptadas e alternativas.
• Promover procedimentos de antecipação e previsão das mudanças ambientais.
• Desenvolver sistemas para controle do comportamento.
• Desenvolver sistemas de signos e linguagem.
• Oportunizar experiências positivas e lúdicas de relação interpessoal.
• Promover condições de aprendizagem sem erros.
• Propiciar contextos e objetivos individualizados de tratamento e aprendizagem.
•  Compreender o núcleo disfásico do autista.
•  Propor atividades com sentido explícito para o aluno.
•  Negociar a inflexibilidade comportamental.
• Cuidar para que o atendimento não seja a aplicação neutra de técnicas, mas sim, na essência, uma extensa e profunda relação comunicativa.
Ana Maria Bereohff P. Bastos
Professora com Especialização em Educação Especial e Psicóloga Clínica atuando em avaliação e atendimento a portadores de Transtornos Invasivos do Desenvolvimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário